Utility Token, uma moeda que presta serviço

Incluída na categoria das utility token (criptoativo de utilidade), o Niobium Coin (NBC) já é uma moeda digital referência no Brasil e para o mundo – e hoje é facilmente negociada em exchanges respeitadas como YoBit.net (Russia), Exrates.me (Estados Unidos), Bleutrade.com (Brasil) e OpenLedger.io (Dinamarca).

Importante esclarecer que desde o surgimento do Bitcoin e da plataforma Ethereum, especialistas tem feito uma divisão em Moedas Digitais, também conhecidas como Criptomoedas, Coins, Moedas Virtuais, Cybercoins entre outras denominações e Tokens, conhecidos como Assets, Ativos Digitais, podendo ainda serem divididos em Utility, que ultimamente tem sido chamados de Consumer Token, Service Token e até App Token,  e de outra banda, representando os valores mobiliários os: Securities, que já recebem novas dominações como Equity Token, Loan Token e certamente amanhã terão outras denominações. Então fique à vontade, caso queira atribuir algum nome “bonito” para as Criptomoedas e para os Tokens, pois no fim do dia, todos são Criptoativos.  

O boom do Niobium Coin (NBC) ocorreu no início do ano, depois que foi analisada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), autarquia que regulamenta o mercado de capitais no Brasil em e em decisão exclusiva do colegiado foi declarada Utility Token não sendo obrigado aos registros do órgão, ou seja, o colegiado deliberou que o Niobium (NBC) é um ativo não financeiro, portanto, não sujeito à fiscalização do órgão.

A deliberação da CVM em relação ao Niobium (NBC), foi a cereja do bolo, em um ICO que já estava em processo muito bem-sucedido, atraindo investidores do mundo todo.

Foi assim que o NBC, primeira criptomoeda com a participação de um emissor made in Brazil, cravou seu nome na história das criptomoedas.

Mas você deve estar se perguntando: porque o Niobium (NBC) foi autorizado a caminhar e ter sua vida própria no Brasil? Bem, o que foi determinante na análise da CVM foi o fato de o Niobium (NBC) ser uma moeda de utilidade e ter seu valor para permitir transações, sem, no entanto, representar um valor mobiliário.

Mas o que é um utility token?

 

Os utility tokens, como diz o nome, são as chamadas moedas digitais ou tokens de utilidade. Mas como saber se um criptoativo é de utilidade?

Quando ela é utilizada para a prestação de serviços. Assim é o caso do Ethereum e também do Bitcoin, além do Niobium, como já dissemos.

A melhor maneira de entender um token de utilidade é comparando-o com as fichas que costumam circular em uma festa junina, as quais podem ser trocadas pelas principais atrações e produtos locais: um assento na roda gigante, um cachorro-quente, um saco de pipoca ou um quentão, por exemplo. Esses tickets só têm valor naquele evento e enquanto ele durar. Não poderão ser usados nem fora da quermesse, nem depois dela.

Transpondo essas fichas para o mundo das criptomoedas, compreende-se então que os tokens de utilidade viabilizam operações em ambiente digital, onde interessados os trocam por produtos ou serviços.

Esta funcionalidade — ser trocado pelo direito de ter acesso a uma plataforma, serviço ou produto, resulta que ele não é considerado um valor mobiliário, no sentido em que não há o pagamento de um rendimento aos investidores ou participação em uma empresa, como por exemplo. O montante que os proprietários do ativo ganham ou perdem é definido pela diferença no valor de compra e venda do utility token, sendo que isto não o posiciona na condição de valor mobiliário.

A versatilidade e inovação são as principais características das criptomoedas ou criptoativos de utilidade. Por um lado, isso ocorre à medida que o token de utilidade consegue revolucionar conceitos existentes e criar ecossistemas, empoderando os seus participantes. Em outras palavras, o proprietário tem a chave para se juntar a uma comunidade (blockchain) e usufruir dos serviços oferecidos pelo seu emissor.

Para os especialistas, esse tipo de token surge como uma força vital para as atuais economias emergentes online, motivando e mobilizando os participantes (inclusive as entidades com fins lucrativos) para o fornecimento coletivo e integrado de soluções.

A vantagem do modelo é a possibilidade de delimitar ou bloquear, por assim dizer, a atuação dos usuários a fins de obter privilégios no ecossistema. Isso porque sua própria essência funcional se apoia em uma estrutura coletiva de incentivos e benefícios, permitindo o compartilhamento dentro de um mesmo banco de dados, da base de usuários e da mesma moeda.

Bons exemplos pelo mundo

 

Um determinado token de utilidade pode ser definido para representar o acesso futuro ao produto ou serviço de uma empresa.

O token de utilidade BAT (Basic Attention Token), criado pelo ex-CEO do Mozilla, Brendan Eich, foi desenvolvido para atender ao propósito de lançar um novo navegador de internet, chamado Brave, em uma interface livre de anúncios excessivos e invasivos, que só dificultam a navegação e consomem dados. O projeto arrecadou a surpreendente cifra US$ 35 milhões em 30 segundos.

Bons empregos de utility tokens também podem ser feitos, por exemplo, por uma startup que vende cupons digitais para o serviço que está desenvolvendo ou, ainda, por um e-commerce que aceita determinadas moedas de transação para permitir o acesso a jogos de videogame cujo lançamento está programado para o futuro.

Já a Civic também teve seu projeto vencedor. Trata-se de uma empresa com a missão de providenciar uma identidade digital a cada cidadão que deseja interagir virtualmente, de maneira privada e segura, com parceiros internacionais. Ela já criou um bilhão de tokens de utilidade. Quanto mais ela cresce, maior é o número de transações dentro dela e maior, a demanda por tokens. Sendo mais úteis e procurados, eles passam a valer mais.

Moedas de utilidade tem projetos por trás delas

 

Assim como outras importantes moedas de utilidade, a criação da Niobium Coin (NBC) funciona como combustível para viabilizar um projeto relevante e é por isso que também ganhou relevância rapidamente.

O criptoativo foi lançado para financiar a plataforma da Bomesp – a Bolsa de Moedas Virtuais Empresariais de São Paulo. A ideia é que qualquer empresa, organização sem fins lucrativos ou associação possa captar recursos junto a investidores por meio da emissão de moedas virtuais próprias, que serão distribuídas e posteriormente negociadas na Bomesp. A sistemática tem tudo para ser uma alternativa barata, rápida, segura e viável para organizações que buscam se capitalizar.

A credibilidade da Bomesp está no cerne de toda a operação na medida em que lhe conferiu confiabilidade. A Bolsa foi criada pela Fundação Niobium, entidade internacional sem fins lucrativos que congrega especialistas em moedas virtuais do mundo inteiro — um time de peso, com profissionais que já têm carreira e expertise consolidadas e um nome respeitado no meio em que atuam. Ao dar aval ao projeto de criação da Bomesp e do seu utility token, eles lhe agregaram os valores que vêm pavimentando seu percurso.

Fernando Barrueco
Fernando Barrueco

Fernando Barrueco é advogado sócio da Perrotti e Barrueco Advogados, mestre em Direito Tributário pela PUC/SP. Especialista em Direito Digital, participou das discussões acerca do Marco Civil da Internet no Brasil. É professor de Direito Internacional Público e Privado na PUC/SP e consultor de Tecnologia. É Legal Advisor da BOMESP, bem como presidente da diretoria executiva da Fundação Nemirovsky na Pinacoteca do Estado de São Paulo.

Receba nossas novidades​

Fique por dentro da BOMESP

Coloque seu e-mail e receba notícias semanais sobre criptomoedas e tendências do mercado

Saiu na Mídia

Sobre a BOMESP

BOMESP é a Bolsa de Moedas Virtuais Empresariais de São Paulo criada a partir da Niobium Coin. Com a BOMESP, qualquer empresa poderá ter sua própria moeda ou poderá operar no mundo das moedas virtuais com paridade com o Bitcoin, Ethereum, Bitcoin Cash, Litecoin, Ripple e a própria Niobium Coin.

Assessoria de Imprensa: Key Press Com
Beatriz Marques Dias
[email protected]
Tel. +55 (11) 3266-3638 | Cel. +55 (11) 99340-5722

Contato

Email:
              [email protected]

Telefone:
                    +55  (11) 3071-2090

Idioma »